Fonte de São Pedro












Portalegre, Janeiro de 2017

A Fonte de São Pedro data do século XVIII, conforme se pode ler na inscrição:

"EM A ERA DE MIL E 730 SE FES ESTA OBRA E[M] DIA DE SANTA CATHERINA EM NOVA AGVA".

A todo o vapor


Alvito, Janeiro de 2017

Um gato no telhado


Odivelas (Ferreira do Alentejo), Janeiro de 2017

#TBT: Chaves 1988


Chaves, Setembro de 1988

Apercebi-me, já há bastante tempo, de que não consigo dar vazão à quantidade de imagens que vou caçando à minha volta. Só para se fazer uma ideia, desde que comprei a minha primeira câmara digital, em 2004, no Japão, já juntei para cima de 40 mil ficheiros de imagem, organizados em mais de 400 pastas (os meus álbuns, como lhes costumo chamar). Isto já para não falar das que acumulei antes, em papel, que me atafulham prateleiras e gavetas. Tenho o vício do disparo, o que é que hei-de fazer, mas não tenho depois tempo para dar uso a tanta imagem: ainda mal pensei o que fazer com umas e já apanhei mais outras tantas. Assim, há sempre muitas que ficam em lista de espera, remetidas para as calendas gregas.
Lembrei-me recentemente que podia ir, de vez em quando, buscar umas ao baú, para fazer umas sessões revivalistas. Pensei chamar-lhes #TBT, que tanto se pode entender como Throwback Thursday ou como Tesourinhos Bastante Tristes. Deixo à consideração. Pelo sim pelo não, passam a surgir às quintas.

Entrevista (2)


Portalegre, Janeiro de 2017

Fonte do Penedo






Portalegre, Janeiro de 2017

A Fonte do Penedo data de 1871. Em 1937, foi implantada no lugar que hoje ocupa. Nos anos de 1960, foi desmontada e retirada para depósito municipal, tendo ficado entulhada até 1994, altura em que, por iniciativa do Grupo Pró-Portalegre e da ESEP, foi recuperada e reimplantada. E, sim, está a precisar de limpeza e cuidados.

Esquina


Portalegre, Janeiro de 2017

Gosto de prédios de esquina.

Um São José de azulejos (9)










Figueira de Cavaleiros (Ferreira do Alentejo), Janeiro de 2017


Odivelas (Ferreira do Alentejo), Janeiro de 2017

Catando


Santo António das Areias (Marvão), Dezembro de 2016


Estremoz, Janeiro de 2017 (um clássico, também aqui e aqui;
pergunto-me por que é que não lhe vejo a seta)



Odivelas (Ferreira do Alentejo), Janeiro de 2017








Figueira de Cavaleiros (Ferreira do Alentejo), Janeiro de 2017

O espólio dos dias que correm: fraco em quantidade, mas de qualidade irrepreensível.

Cataventos



É colecção que tem andado parada, por falta de matéria-prima. Nos meios onde me movo, já está tudo batido; valem-me os desvios, para ir encontrando uma ou outra novidade que, de tão poucas, nem têm justificado a divulgação. Sim, há todo o espólio dinamarquês, mas esse precisa de um fôlego que ainda não tive.
Digna de nota, a minha colaboração na obra que aqui divulgo, fruto de uma perseverança que invejo. Aproveito para renovar os meus parabéns à autora, Zulmira Bento, pelo belíssimo resultado final.





Bento, Zulmira (2016). Cataventos. Alcanena: Ed. Câmara Municipal de Alcanena.

Dez de Janeiro


Portalegre, Janeiro de 2017

É um dia marcante e marcado na minha vida, por razões próprias e alheias, boas e más. Este ano, terminou assim.

Elefante




Portalegre, Dezembro de 2016

Entrevista


Portalegre, Dezembro de 2016

ACP #140, #141, #142




Figueira de Castelo Rodrigo, Dezembro de 2016

Mais uma fantástica colaboração do colega Pedro Figueira, com três letreiros novos e um repetido. Este primeiro, de Figueira de Castelo Rodrigo, que já tinha passado por aqui, mostra como ainda há algum carinho por este património tão negligenciado: apesar de descascada a parede, conservou-se uma ilha de reboco, para albergar o letreiro, que até tem dois OO virados e um daqueles UU coxos, que hei-de perceber quando e como surgiram. Mas, em matéria de insólito, ainda não vi nada que batesse estoutro letreiro de Figueira de Castelo Rodrigo: até tem os OO direitos, apesar do S torcido, agora a forma como se resolveu a falta de EE diz muito sobre o proverbial desenrascanço português. Talvez as hastes em falta tenham sido sobrepostas a tinta, que desapareceu com o tempo. Ou não, já nada me espanta.




Figueira de Castelo Rodrigo, Dezembro de 2016

Localidades novas, as duas seguintes. Espero que o letreiro de Vilar Torpim tenha tanta sorte como o primeiro acima.


Vilar Torpim (Figueira de Castelo Rodrigo), Dezembro de 2016


Barca d'Alva (Escalhão, Figueira de Castelo Rodrigo), Dezembro de 2016

Parque das Nações




















Parque das Nações, Lisboa, Dezembro de 2016

Um dos meus passeios favoritos, nos últimos tempos.

Ângulo morto: composições improváveis #25


Amadora, Dezembro de 2016

E outro ângulo ainda:


Amadora, Outubro de 2016

I want to ride my bicycle


Parque das Nações, Lisboa, Dezembro de 2016

Filtro encarnado


Parque das Nações, Lisboa, Dezembro de 2016

Långstrump & Co. #2


Sotavento algarvio, Agosto de 2016

Desejos de Ano Novo.